Publicidade
Amor sem limites
“Nasci para ser mãe”
Quem vê essa cumplicidade da Talita Bueno da Silva e o pequeno Benjamin nem imagina a batalha de fé e superação que ela e o esposo Paulo José Frizon trilharam para hoje ter o filho nos braços
Por: Suseli Cristo
Publicado em: segunda, 09 de maio de 2022 às 10:04h
Atualizado em: segunda, 09 de maio de 2022 às 10:15h

Quem vê essa cumplicidade da Talita Bueno da Silva, 21 anos, e o pequeno Benjamin, nem imagina a batalha de fé e superação que ela e o esposo Paulo José Frizon, de 23 anos, trilharam para hoje ter o filho nos braços.
Com dois anos de casados, a gravidez foi planejada e muito esperada, mas um problema no útero de Talita mudou todos os planos que o casal tinha para a chegada do primeiro filho. “Minha gravidez estava ótima, foi planejada e muito esperada, sempre sonhei em ser mãe, estávamos ansiosos com a chegada do Benjamin. Morávamos no distrito de Osvaldo Cruz, em FW, então como meu esposo passou no concurso da Brigada Militar, nos mudamos para Passo Fundo para que pudesse fazer o curso, foi aí então que engravidei. Estava tudo indo como o planejado, Benjamin crescia a cada dia, mas por causa de um problema no colo do útero ele veio ao mundo quatro meses antes do previsto, onde travamos uma batalha pela sua vida, e a minha também”, relembra Talita.
Foi aí que a Talita e o Paulo viram que o amor deles precisaria vencer barreiras e um seria o apoio do outro em qualquer situação. “Fomos fazer um ultrassom e quase não dava para ver o bebê, ele estava praticamente sem água lá dentro, foi um momento de desespero. Não sabia o que iria acontecer com ele ou comigo, porque nós dois estávamos correndo riscos. Nesse momento, eu esqueci tudo e olhei para o teto, rezei e disse 'Deus, se for para o meu filho morrer dentro de mim, tira ele, porque ele vai ser uma bênção. Por mais que ele vá ser muito pequeno, vai sair e vai ser lindo, vai crescer e um dia vai para casa com nós'. Meu esposo e eu precisamos nos fortalecer um no outro. Você saber que o seu sonho estava prestes a ter um fim indesejável é muito doloroso”, descreve a mãe.

Publicidade
Publicidade

A fé acima de tudo
Foi no Hospital São Vicente de Paulo, no dia 22 de dezembro de 2020, que Benjamin veio ao mundo, com 23 semanas de gestação, pesando apenas 595g e medindo 29,5 cm. “Fiquei internada três semanas até que ele nascesse, em repouso absoluto, restrita de qualquer tipo de esforço. Benjamin nasceu roxo, sem chorar. No momento meu esposo pensou que era tarde demais, mas por milagre de Deus ele começou a se mexer e foi para a CTI Neonatal, onde permaneceu internado por cinco meses, depois mais um mês no quarto. Tivemos várias intercorrências, um tempo extremamente difícil que passamos, tanto emocionalmente quanto financeiramente, foi aí que falei com Deus novamente, que aquela guerra não pertencia mais a mim, mas sim ao meu Deus, Ele pelejaria por nós. Quando Deus guerreia por você, é Ele quem faz a obra, e ela é completa”, relata Talita.
Hoje, com um ano e quatro meses, pesando 7,200kg, Benjamin não tem nenhuma sequela, é um bebê inteligente e a alegria do lar de Talita e Paulo. “Era ele que faltava em nossas vidas. Como eu disse, Deus é maravilhoso e faz tudo completo. Nosso filho é uma criança linda e abençoada. É o nosso milagre”, diz a mãe orgulhosa. 

Uma dádiva
Apesar de todas as adversidades pelas quais passaram, Talita diz que não há bênção maior do que gerar uma vida. “A maternidade é um grande compromisso na vida de qualquer mulher, mas é a maior bênção que poderíamos receber. Com tudo isso que passei pensei que nunca poderia ser feliz, mas quando você confia em Deus tudo é possível. Muitas vezes eu ouvi a frase ‘se você ama o que faz, nunca irá trabalhar’. E é isso que penso no papel de mãe, eu amo ser mãe, nasci para ser mãe, amo ver e acompanhar tudo o que diz respeito ao meu filho”, acrescenta. 
E para esse Dia das Mães, a Talita deixa um recado especial. “A todas as mamães, quero dizer para que aproveitem cada segundo ao lado de seus filhos e nunca percam a fé e a esperança. O poder de Deus é maior que tudo, confiem, pois Ele nos dá exatamente aquilo que é para a nossa vida. Hoje temos o nosso Benjamin, entendemos que era para ser assim. Ele é nossa realização como pais, como seres humanos, nos ensinou e nos ensina a cada dia”, finaliza.

Fonte: Jornal O Alto Uruguai